quarta-feira, 11 de março de 2009

BALLET GISELLE

Ballet Giselle apresentado no Het Muziektheater
pelo Het Nationale Ballet

O Ballet Giselle é um clássico dos ballets românticos. A obra-prima desse gênero pode-se dizer. Foi apresentado pela primeira vez em Paris em 1841.A nova produção do Dutch National Ballet é baseada na coreografia original de Jules Perrot and Jean Coralli de 1841. Coreografia atual de Marius Petipa e produção e coreografia adicional de Rachel Beaujean and Ricardo Bustamante. Giselle fala a respeito de fortes emoções: amor, decepção, vingança, perdão... O ballet explora emoções atemporais, eternas. Tão importantes nos nossos dias...O enredo fala do amor impossível entre Giselle e Albrecht. Giselle é uma camponesa e Albrecht um nobre que se faz passar por camponês para poder ter o amor de Giselle. Hilarion, também camponês está apaixonado por Giselle, mas ela rejeita seu amor, contando a ele que ama Albrecht. Hilarion e Albrecht brigam, e Hilarion jura vingança. Mais tarde aproveitando a festa da colheita da uva que acontece na aldeia e que tem a presença do Príncipe de Courtland e sua filha Bathilde, que é a prometida de Albrecht, Hilarion desmascara Albretcht na frente de todos. Giselle atordoada, devido à sua frágil saúde, morre.
O segundo ato centra no drama de Albrecht. Sentindo-se culpado da morte da amada, vai até o túmulo de Giselle. Lá ele é surpreendido pelas Willis, que são espíritos das jovens que morreram sem se casar e agora roubam a alma dos homens que se aproximam. Fazendo-os dançar até morrer. Primeiramente, as Willis comandadas por sua rainha, levam Hilarion à morte (que também aparece para ver o túmulo de Giselle). Depois tentam aprisionar através da dança a alma de Albrecht.Mas Giselle intervém e dança loucamente até o amanhcer no seu lugar.Com o chegar da aurora, as Willis retornam ao mundo das sombras e Albrecht finalmente está livre. Giselle o perdoa e volta para junto da Willis ao mundo espectral das sombras. A despeito da técnica e virtuosismo dos bailarinos, o que fica mesmo após ver Giselle, é a beleza das formas: a música, a dança, os movimentos e seus significados. Estar sensível a todos os elementos que compõe o espetáculo. Receber cada informação com o espírito aberto juntá-las a todo conteúdo que já carregamos dentro da alma e ressignificá-las. 
Assistir um espetáculo desse porte nos faz mais próximos da Grande Alma. Sentimos-nos revigorados, e nosso lugar no mundo parece mais confortável. Ficamos mais confiantes e esperançosos. Acho que a Grande Arte tem essa magia. De tocar uma parte do nosso ser, e fazer ressoar o que há de melhor dentro da gente, provocando um impulso à frente, um passo a mais nos degraus da Grande Subida... 

 AMSTERDAM, 11 DE Março 2009.

Um comentário:

  1. nossa, perfeito !!!
    parabens pelo comentario acima ! Vou recomendar as minhas alunas que leiam
    abraço

    ResponderExcluir