sábado, 19 de dezembro de 2009

pensando sobre os ciclos


...uma nova etapa que se conclui, um novo ciclo que recomeça, um momento de refletir, ou apenas um período comum em que a troca de data, é apenas uma mudança no calendário.
Todo final de ano é assim, não importa a crença, a cultura ou o modo de ser, paira no ar uma energia diferente. Algo quase físico. Como se uma grande porta invisível manipulada por uma grande mão também invisível, existisse num tempo logo ali na frente...
Como se, de repente nos déssemos conta de sua presença e todos juntos, em um grande movimento uníssono caminhássemos na sua direção na grande expectativa de atravessá-la.
Eu particularmente acredito nos ciclos pessoais de cada indivíduo, em mudanças decorrentes de ciclos que se completam e que recomeçam, de acordo com a história de cada ser.
Mas também não posso ignorar que nesse período do ano, a energia coletiva de crença em mudanças representa uma força significativa na roda que gira o mundo. O inconsciente coletivo tem um papel importante na criação e elaboração dos mitos, daí a crença em mudanças na virada do calendário por exemplo. Muitos abrem o ano novo com ritos, tradições, práticas, ou toda sorte de amuletos, na tentativa de manipular "a distância" um tempo que ainda não chegou. Todo o pensamento se volta pra algum momento no futuro, algo que se projeta pra frente, se desloca do aqui e agora e as esperanças no melhor são o único sentimento que liga os dois tempos: presente e futuro. Apesar de ver um lado positivo nesse pensamento-comportamento, que é a energia para o bem, o astral elevado, os sentimentos confiantes, a reflexão e análise que muitos elaboram a respeito do tempo que recém passou, numa perspectiva de reelaborar o crescimento pessoal. Os ritos que muitos realizam tem a função muitas vezes de organizar psiquicamente a vida. Se preparar pra continuar a jornada. A vida é um rio, que flui ininterruptamente...
Por outro lado, quando s expectativas existem sem a contrapartida da reflexão, está implícito também, uma certa falta de compromentimento com as próprias atitudes e sua responsabilidade em atuar de fato na sua vida, porque colocando todas as possibilidades num futuro incerto, uma parte do ser deixa de estar presente e atuante naquele momento.Como se os planos fossem de fato se realizar, bastando para isso "atravessar a porta".
A minha reflexão não tem a intenção de ser condenatória desse ou daquele comportamento, mas somente de sugerir uma nova possibilidade do olhar, diga-se o "meu" olhar, como tantos outros olhares diferentes que existem de igual valor.
Refletir é uma ação do pensamento que se feita com honestidade e clareza, sempre produz bons resultados, a respeito do presente do passado ou futuro.



Amst, 19 dez 2009

2 comentários:

  1. Também vejo a mudança de ano como a figura de um rio que segue seu curso, mas também não podemos menosprezar o inconsciente coletivo! Todos querem mudanças, mas não sei se é na virada de uma ano que essa mudança 'acontece'. Enfim, vamos cumprir o nosso papel! Se personagens, vamos tentar realizar com talento ou graça! (rs*) Feliz ano novo!! Feliz Yule!! Beijus,

    ResponderExcluir
  2. Os ciclos são poderosos reguladores naturais, e saber vivê-los é uma arte.

    Obrigado pela compania nesse ciclo de 2009 e um excelente 2010!

    Bjs

    ResponderExcluir