terça-feira, 15 de junho de 2010

A alma do cozinheiro


A alma do cozinheiro

Sobre comer e comidas...


Compartilhar uma refeição pode ser muito mais do que degustar uma comida, apreciar a boa mesa ou se divertir com amigos. O alimento carrega algo de simbólico junto de si, especialmente se preparado por quem aprecia e entende do assunto: mãos habilidosas e um coração presente.
Cozinhar é uma atividade de entrega, tal qual outras formas de arte. E antes de tudo de generosidade, coração grande e largo.
Você já reparou nas casas onde tem alguém que cozinha com freqüência (e com amor!)? Elas têm uma energia diferente, um calor que envolve e acolhe, parece uma Casa-Mãe.
Aquele que está à frente do preparo dos alimentos, sabe que tem um poder especial nas mãos: um poder de encantamento que envolve os cinco sentidos, daquele que faz e daqueles que comem. E um poder subversivo maior ainda, de agregar, unir, congregar (coisa rara hoje em dia!).
Cozinhar é estar alerta aos sentidos, perceber com o próprio corpo o que funciona na natureza de cada alimento. Texturas, cores, sabores, cheiros, e aquele sexto sentido especial que só aqueles de alma grande têm. Explorar as possibilidades do que cada um tem a oferecer e suas infinitas combinações.
O quinto sentido? O ambiente da cozinha, seus ruídos típicos, o barulho da água lavando, a faca cortando, as colheres tilintando. Cozinhar é verbo transitivo que pede sempre complemento. Nada é assim tão simples - e é ao mesmo tempo - só juntar isso com aquilo e pronto. Tem o ingrediente mais importante: a alma do cozinheiro que está sempre ali impregnada de afeto e impregnando tudo que sai de suas mãos habilidosas e de sua imaginação amorosa . Direto pra boca, garganta, estômago e coração de quem vai comer seus preparos.
Tenho ótimas memórias ao redor da mesa por longo tempo: em família com minha mãe sempre cozinhando para todos –ainda hoje é assim –distribuindo afeto e calor com generosidade, dá pra sentir o sabor até agora. Todos sorrindo e falando ao mesmo tempo. As crianças correndo em volta, os cheiros vindos da cozinha exalando seus perfumes pelo ar, criando um clima de aconchego e intimidade prazerosa, familiar.
Comer algo feito com afeto é assim, quase uma poção que nos faz mais leves, mais risonhos e nos torna um pouco feito crianças a brincar.

*Fiz esse texto inspirada nas pessoas que eu amo e que sabem a arte de cozinhar como ninguém: minha mamma Leticia, minhas irmãs: Ica, Marta e Márcia e minha amiga Elo.
Isso é pra vocês!!! Viva todas vocês!!!

A'dam 15 de Junho 2010.

Nenhum comentário:

Postar um comentário