segunda-feira, 18 de março de 2013

Ons' Lieve Heer op Solder



Nosso Senhor no sótão





 Uma história de tolerância


Aparentemente uma simples casa à beira de um dos canais em Amsterdam. Quem passa em frente nem sequer suspeita a insólita surpresa por trás da fachada. No último andar se esconde uma simpática igrejinha toda em rosa, totalmente restaurada, que serviu a muitos católicos no passado, quando a fé era assunto entre quatro paredes.
Sua história está diretamente ligada a Reforma Protestante nos séculos 16 e 17. Mas também fala de tolerância, algo bem peculiar do povo holandês.
Naquele tempo os Países Baixos estavam sob o domínio do **Protestantismo (uma dissidência da Igreja Católica). Assim, a partir de 1578 ficou proibido manifestar a fé católica em público. Mas não se espante leitor, os Países Baixos também estiveram sob a mão de ferro da Igreja Católica durante muitos anos antes, através do domínio espanhol. E também nesse tempo aqueles que pensavam diferente da Santa Sé eram veementemente excomungados. Daí o surgimento dos protestantes como uma reação. Uma inversão de poderes.








A casa foi comprada por um rico mercador Jan Hartman no ano de 1661, bem como as duas casas adjacentes na parte de trás. Hartman decidiu construir uma igreja ligando seus três sótãos. Abrigava cerca de 150 pessoas sentadas durante as missas que eram celebradas todos os domingos. A igreja funcionou escondida durante 200 anos. Dizem que os Protestantes sabiam da existência da Igreja Católica, mas faziam vistas grossas, tolerando a fé católica, afinal a política de Amsterdam sempre foi tolerante com a diversidade.
Em 1739 o padre Ludovicus Reiniers comprou a casa e mudou-se para lá. Fez algumas alterações, como uma escada para facilitar o acesso aos fiéis. Somente em 1888 a igreja foi aberta ao público nos dias de semana, quando então já era possível manifestar a fé publicamente.
A casa hoje é um museu e conta a história daqueles tempos: a casa onde morou Jan Hartmam e como eles viviam, das missas dominicais, hábitos e costumes. Olhar pelas janelas, andar pelos aposentos, subir e descer pelas escadas de madeira, ouvir a história sendo narrada no áudio tour. Sem dúvida, um programa que eu recomendo. Além da igrejinha escondida, que por si só vale a visita, tem toda a história por trás de um sonho. Alguém que não desistiu apesar dos impedimentos e obstáculos. Não pela religião em si, porque hoje até mesmo a Igrejinha é um espaço histórico inclusive, mas sim pelo inusitado, pela idéia de um homem que um dia ousou e foi além das convenções impostas. Algo que para ele tinha sem dúvida um chamado especial. 
Em 1887 um grupo de holandeses católicos comprou a igreja a fim de preservá-la da demolição e 

O museu fica na Oudezijds Voorburgwal, 40 - no bairro mais antigo de Amsterdam, no coração do famous and infamous Red Light District , o local da cidade cheio de vitrines onde as garotas se exibem/vendem.
A partir da praça central DAM fica cerca de 5minutos caminhando. Na praça onde está o o grande obelisco, siga pela rua estreita lateral (Warmoesstraat > siga até encontrar uma rua perpendicular - à direita_- chamada   Heintje Hoekssteeg, entre nessa rua e siga até o final,   é no prédio da esquina à direita. Entrada em frente ao canal.

*Todas as pinturas e objetos no museu são originais porém alguns não pertencem á época em que a Igreja funcionava;
*A igreja é pintada na cor rosa porque durante o período de restauro foi encontrado camadas dessa cor que estavam sob outras camadas de tinta. Estudos determinaram que o rosa pertencia à época ativa da Igreja. O nome da cor é Caput Mortuum;
Todo primeiro domingo do mês é celebrada uma missa católica na igrejinha as 11hs da manhã; a entrada é livre;
A missa é celebrada com um coral e um músico ao órgão.
Próximas missas: 7 de Abril 2013
                           5 de Maio 2013
                           6 de Outubro 2013
                           3 de Novembro 2013
                          1  de Dezembro 2013
                        24  de Dezembro 2013
                           







**Reforma Protestante foi uma cisão dentro do Cristianismo Ocidental (leia-se Igreja Católica Apostólica Romana) iniciada primeiramente por Martinho Lutero e João Calvino. Eles contestavam as doutrinas, rituais e estrutura eclesiástica da Igreja Católica. Que tinha se afastado muito dos princípios básicos originais, como caridade, pobreza, humildade. Os papas eram considerados Deus na terra e em nome de sua autoridade cometiam abusos de poder. Muitos outros fatores contribuíram para desencadear a necessidade de mudanças dentro da Igreja. Deve-se levar em conta o contexto daquela época: a Peste Negra, O Cisma do Ocidente, as idéias Renascentistas e humanistas, a invenção da Imprensa a Queda do império Romano do Oriente.
A Peste Negra (entre 1348/1350) estima-se que devastou cerca de 30 a 60% da população da Europa. Levou em torno de 150 anos para a Europa recuperar sua população.



Nenhum comentário:

Postar um comentário