quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Vermeer e Joan Miró


“Para mi um objeto es algo vivo. Este cigarrillo, esta caja de cerillas contienen una vida secreta mucho más intensa que ciertos seres humanos. Cuando veo um árbol recibo um impacto, como só fuese alguien que respira, que hablara. Um árbol tambíen es algo humano.”
Joan Miró, 1893/1993. Fundació Jan Miró.pág. 424


Interiores Holandeses, de Joan Miró

Em 1928 Joan Miró viajou para Holanda com o intuito de visitar alguns museus. Ele era fascinado pela arte holandesa do século XVII, cheias de minúcias e detalhes.
De volta a Paris Miró levou consigo alguns postais da arte holandesa que ele tanto admirava. Propôs-se então a fazer alguns trabalhos tendo como fonte de recursos as pinturas que mais marcaram seu olhar.
Hendrick Sorgh e Jan Steen dois mestres da pintura holandesa daquele período inspiraram Miró a criar uma série de três pinturas chamadas por ele de Interiores Holandeses.
Elas representam alguns dos mais importantes trabalhos de Miró de sua fase surrealista.
Dedicou-se arduamente a investigar e recriar a seu modo as obras holandesas através de desenhos e esboços a lápis.
Miró deu sua contribuição a uma longa tradição de cópias criativas, nas quais os artistas reinterpretam obras importantes de seus predecessores, usando-as como fonte de inspiração para a criação de novas obras de arte. Coisas de mestres!
A exposição traz um intrigante e surpreendente encontro entre a era de Ouro Holandesa (Dutch Gold Age) e os movimentos de vanguarda do século XX.
Jan Steen foi um dos mestres da Dutch Golden Age, e no final dos anos vinte gozava de grande fama. Miró naquele tempo era considerado um dos grandes expoentes do surrealismo e da pintura e se tornou um dos mais influentes e importantes artistas de sua geração.
Nos Interiores Holandeses as cenas originais (das obras holandesas) passam por uma metamorfose completa. Através da imaginação criadora de Miró elas são decodificadas a trazidas ao mundo mágico e surreal do mestre catalão.


 Interior Holandês I, 1928.Miró.

O tocador de alaúde, 1661 - Hendrick Sorgh


   Interior Holadês II, 1928,Miró.


A lição de dança,1660-1679. Jan Steen.


 Interior Holandês III, 1928. Miró.

*Especialmente Interior Holandês III, não tem seu corresponte direto nas pinturas holandesas, mas Miró agregou alguns elementos de outras obras que possivelmente ele também viu expostas no Rijksmuseum: A Família Feliz, de Jan Steen (1668), Jovem vestindo-se, Jan Steen e A Festa de São Nicolau, c. 1665-1668, Jan Steen.    

A Família Feliz, de Jan Steen


Jovem vestindo-se, Jan Steen



A Festa de São Nicolau,c.1665-1668, Jan Steen
-----------------------------------------------------------------------------------
“Hice um viaje de dos semanas a Holanda para visitar los museos. Una vez allí me interesó también la belleza del paisaje, pues fui em la época em que las flores estaban em su mayor esplendor. Vermeer y los maestros holandeses del siglo XVII me interesaron enormemente. Compre muchas postales que reproducían sus telas más características y famosas. Al regresar a París me propuse copiar a mi modo algunas de estas obras, y lo hice igual que com La masía teniendo el modelo delante. Pinte, pues, este Interior holandês I com la postal colocada en el caballete. No tênia la idea de burlarme de la concepción realista de Sorgh. Lo que ocurre es que el resultado responde a la mezcla trágico-humorística que domina en mi carácter. No había nada preconcebido en mi manera de pintar esta tela, sino que me salía así. Acepto que quizá no conseguí todo lo que buscaba em aquel momento, pero estoy satisfecho de esta etapa.”  Joan Miró
Permanyer, 1978, pág. 48

-----------------------------------------------------------------------------------
* O texto do início do post é praticamente uma tradução que fiz do site do Rjiksmuseum (Amsterdam) para a exposição temporária que aconteceu no museu:
  Miró & Jan Steen togheter for the first time (Miró e Jan Steen juntos pela primeira vez).
  June 17, 2010 - September 13, 2010.
*A exposição colocou lado a lado os três Interiores Holandeses de Miró e as obras originais que inspiraram sua criação: “O Tocador de alaúde” de Hendrick Martensz Sorgh (1661);
“Crianças ensinando um gato a dançar” (mais conhecida como “A aula de dança”) de Jan Havicksz Steen (c. 1660-1679). Ambas pertencem a coleção do Rijksmuseum de Amsterdam.
Também fizeram parte da exposição os esboços e desenhos finais para as pinturas e os postais de Miró que retratam as obras holandesas.
*A exposição agora vai para Nova York no Metropolitan Museum a partir de 5 Outubro, 2010 até 17 Janeiro, 2011 Com o título, Miró: The Dutch Interiors.
* As pinturas de Miró fazem parte da coleção do Museum of Modern Art (Nova York), Peggy Guggenheim Collection (Veneza) e do Metropolitan Museum of Art (Nova York). Os postais, desenhos e esboços foram doados por Miró ao Museum of Modern Art e para a Fundació Joan Miró (Barcelona) nos anos setenta.
* Abaixo alguns esboços e estudos para Interiores Holandeses:




5 comentários:

  1. Moca! só aprendo contigo! obrigada !!! beijoss

    ResponderExcluir
  2. Elo!
    eu que digo: obrigada pela visita, tbm aprendo contigo...
    bacione

    ResponderExcluir
  3. Moca adoro os seus textos e esqueci de te falar que suas telas também são lindas!!!
    Parabéns.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Raquel que legal que estivestes por aqui...
    super obrigada!!!
    beijão

    ResponderExcluir
  5. Anônimo8:06 PM

    o fato de voocê nâo entender a minha arte, nâo seria o fato da ausência de cultura sobre arte conteporania?
    quem você pensa que è? miró,polloc.. quem?
    jabson.artes@hotmail.com

    ResponderExcluir